domingo, 22 de fevereiro de 2009

O lado negro da cerimónia…

(...) Aconteça o que acontecer, a cerimónia deste ano já está marcada pela crise económica e pela preocupação da Academia em contrariar a crescente quebra de audiências da cerimónia nos últimos anos, a perda de dois dos seus maiores anunciantes este ano (a General Motors e a L'Oréal), e a baixa de preços da publicidade transmitida nos intervalos do espectáculo pela ABC, a estação que tem o exclusivo dos Óscares.

Daí a preocupação em encurtar radicalmente a cerimónia deste ano (a de 2008, que durou três horas e meia, foi a menos vista desde 1974), a omissão dos apresentadores dos premiados e as várias "surpresas" anunciadas pela Academia, que poderão incluir um número musical de abertura coreografado por Baz Luhrmann e interpretado pelo novo apresentador, o australiano Hugh Jackman (...).

Texto publicado por Eurico de Barros no Diário de Notícias, a 22 de Fevereiro de 2009.

3 comentários:

Dan disse...

Aproveito para juntar a este lado negro, o facto de haver muitas pressões por detrás da cortina, para que certos filmes sejam nomeados e até vencedores...

Houve um senhor, de que não me lembro agora o nome, que disse que muitos fãs ficariam chocados se soubessem o que se passa...

Abraço!

close-up disse...

pois é dan...estava exactamente a pensar isso mesmo..

de qualquer forma...o objectivo de encurtar a cerimonia nao sei se foi atingido..mas certamente este ano o evento esteve furos e furos acima dos anos anteriores ;9 um espectaculo muito agradavel

Filipe Machado disse...

Existe um livro editado sobre os bastidores dos Óscares, onde são revelados todos os "podres" da cerimónia. Vou tentar obtê-lo, depois digo qualquer coisa para quem estiver interessado.