quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

O Pai Natal não existe…

Manhã. Por volta das sete horas. Dia 25 de Dezembro. Desço as escadas de peúgas para não fazer barulho. Olho de relance para a sala de estar. Algo está diferente. Junto à Árvore de Natal estão prendas de todas as cores, tamanhos e feitios. Sento-me e observo minuciosamente cada presente. Qual será o meu? Tenho de esperar para saber… Pelos menos mais duas horas, enquanto os meus pais não acordam… Afinal, o Pai Natal não se esqueceu de mim!
Quantos de nós choraram ao saber da inexistência do Pai Natal. Aquela sensação de vazio e de engano. Muitos passam pela negação, mas até os miúdos de personalidade forte acabam por vacilar perante essa tremenda notícia. Perde-se a magia, perde-se o encanto, perde-se a infância…
Todos nós vivemos essa experiência, até mesmo os mais duros ícones de acção da história de cinema. O problema é quando estes se apercebem disso muito mais tarde nas suas vidas. E nessa altura a reacção pode ser desastrosa… John J. RAMBO, conhecido veterano da Guerra do Vietname, só soube que o Pai Natal não existia através do seu mentor, o Coronel Samuel, na cena final de First Blood (1982). Ora vejam o que aconteceu…


video

Este vídeo rodou na internet no ano passado, sendo editado pelo conhecido comediante português Nilton.

3 comentários:

Anónimo disse...

Nunca esperei esta reacção de John J. Rambo! Ahahaha!!!

Renata Correia Botelho disse...

Opá, não há direito, pá! Coitado do puto, caraças, destruirem-lhe assim a fantasia!...

Maria das Mercês disse...

Agora que tive mais tempo de ver este blogue, de conhecer o seu histórico, deixa-me dar-te os parabéns: é muito inteligente e divertido! Já o adicionei!