sexta-feira, 15 de maio de 2009

Último filme visionado: Gran Torino

GRAN TORINO (2008) de Clint Eastwood

Gran Torino pode resumir tudo o que de melhor Clint Eastwood sabe fazer: realizar pequenas histórias intimistas acerca de pessoas comuns e acessíveis. O reputado realizador prova, novamente, toda a sua perícia ao construir um grande filme a partir de um argumento vulgar. Um filme magnífico sobre a problemática das relações sócio-culturais e familiares, neste caso, as marcas da guerra, os conflitos pessoais, o racismo, a perda dos valores, o papel da religião e a redenção. As personagens assumem-se como protótipos da sociedade actual, ou seja, todas elas espelham uma classe social e geracional bem definida. Neste filme, Eastwood volta a encarnar uma figura carregada com remorsos, um solitário e um durão muito ao seu já reconhecido jeito. Nota negativa, contudo, para as péssimas interpretações dos actores secundários, mas o talento de Eastwood é capaz de fazer esquecer os desempenhos menos conseguidos, apresentando uma das melhores representações da sua longa carreira.
(9/10)

11 comentários:

Tiago Ramos disse...

Um grande filme!

altieres bruno machado junior disse...

olá

uma ótima nota para um filme ótimo!!
vale a pena conferir...

até mais

Airton disse...

final eh mto foda
aliais o filme td neh heheh

Sam disse...

Um filme de grande qualidade — e de calibre emocional quase inexistente no cinema norte-americano actual.

Apenas não concordo contigo quando te referes aos secundários. Não lhes chamaria "péssimos", apenas estão em segundo plano :)

Abraço.

Raquel Roque disse...

Simplesmente ADOREI!!!! Dou ao filme DOUBT nota 10 e ao GRAN TORINO 9,9. :-)

AddCritics disse...

É um filme que apenas Clint podia tornar grande, e tornou-o excelente.

A prova que por vezes o carisma é O trunfo.

Abraço

Gustavo H.R. disse...

Antes de buscar o sucesso comercial, Eastwood parece se preocupar com temas, daí a substância de suas obras. Mal posso esperar para ver esse GRAN TORINO.

Cumps.

Renata Correia Botelho disse...

Subscrevo, integralmente, as palavras da Raquel Roque!!! Na minha opinião, está, dentro da cinematografia dele, ao nível do Mystic River, mas sem este "bonus" excepcional dele como actor.

Aproveito para lembrar o GRANDE Million Dollar Baby - que nem num 10 caberia! Para esta obra-prima teria de se reinventar a escala. É um filme de outro mundo, a que só um Clint genial acede...

toninho disse...

Concordo com a opinião anterior. Aqui nem um 10. Mais um n de não ser possível melhor ...

Fifeco disse...

Eh pah, que feito. Desta feita estamos em total acordo :p

Realmente, se não fossem as interpretações secundárias o filme poderia almejar a excelência.

Abraço

Maria das Mercês disse...

Adorei o filme, sinto que é sempre um grande, grande privilégio ver Clint Eastwood! Realmente os secundários não eram excelentes, eram secundários e apenas actores de grande craveira podem ombrear com ele, como Morgan Freeman em "Million Dollar Baby". Gostei do padre, achei que a escolha do actor - com ar de bebé inocente - foi excelente.